viver cuidadores

Viver Cuidadores: carinho e atendimento humanizado

Desenvolver soluções de atendimento com excelência é a missão da Viver Cuidadores. Queremos sempre superar as expectativas dos clientes, colaboradores e parceiros.

Por isso, buscamos otimizar nossos processos para melhorar continuamente os nossos serviços. A Viver Cuidadores tem como principais pilares a promoção do bem-estar e a humanização do atendimento às pessoas idosas.

Não temos a pretensão de ocupar o espaço da família, mas proporcionar uma maior atenção e cuidado àquela pessoa que já passou por todas as experiências da vida e, agora, merece o menor estresse possível. Nosso foco é a valorização da dignidade de cada pessoa humana.

 

A Viver cuidadores: a arte de servir e cuidar

Fragilidades, dores, limitações e diagnósticos de doenças. A Viver Cuidadores reconhece que o processo de envelhecimento nem sempre é simples.

Por isso, temos como principal compromisso levar um cuidado humanizado aos pacientes: desde um simples olhar de carinho, até entender e melhorar as suas dores. Nosso recrutamento e seleção de profissionais é amplamente criterioso, no qual avaliamos o currículo e a experiência, além de realizar entrevistas e provas.

A Viver Cuidadores cadastra apenas profissionais que possuam o curso de cuidador ou que estejam com o Coren-DF ativo. Todos os nossos especialistas ainda passam por treinamentos periódicos, a fim de melhorar cada vez mais o atendimento. Com nossos conhecimentos técnicos aliados à empatia e ao afeto, queremos que o paciente se sinta cada vez mais valorizado.

viver cuidadores

Nosso objetivo é proporcionar comodidade, atenção e carinho por meio de profissionais especializados em servir e cuidar. Oferecemos serviços e assistências, como:

– atividades físicas e cognitivas;
– auxílio nas tarefas cotidianas;
– administração de medicamentos;
– monitoramento de sinais vitais;
– acompanhamento em consultas;
– acompanhamento em passeios; e
– companhia.

No mercado de Brasília, a VIVER conta com tradição e credibilidade comprovada dos serviços prestados. Realizamos visitas técnicas com especialistas, a fim de entender a situação e as necessidades do paciente e posteriormente encaminhamos o profissional mais indicado para o acompanhamento.

Entre em contato para tirar todas as suas dúvidas!

cuidar do familiar

Falta tempo para cuidar do familiar?

Chega um dia em que o processo se inverte. Antes, enquanto crianças e jovens, nós éramos cuidados por algum parente; com o passar dos anos, chega a nossa vez de cuidar do familiar, que normalmente são os nossos pais.

Quando adultos, muitas pessoas continuam próximas de seus pais, mantendo laços afetivos e sendo solidários às suas necessidades. Porém, a vida adulta costuma vir acompanhada de diversas obrigações como trabalho, estudos, serviços domésticos, filhos etc.

Essa realidade faz com que muitos filhos se deparem com dificuldades de organizar seu tempo para cuidar do familiar, pois encontram-se muito atarefados na fase da vida que coincide com o envelhecimento dos familiares.

 

A ajuda profissional para cuidar do familiar é uma solução

cuidar do familiar

Não é necessário abdicar dos compromissos pessoais para cuidar do familiar que precisa de ajuda. Contratar auxílio profissional pode ser uma boa solução.

O cuidador está habilitado para dar atenção ao seu familiar e suprir todas as suas necessidades que são voltadas para a obtenção de uma melhor qualidade de vida. Mesmo em meio à correria do dia, você fica tranquilo sabendo que o seu familiar está bem acompanhado em suas atividades cotidianas.

É importante salientar que o profissional especializado não tem o papel do familiar. O filho não vai – e não deve – parar de visitar seus pais e ter momentos juntos. O papel do profissional é auxiliar e realizar as atividades necessárias com a pessoa para garantir a sua qualidade de vida.

Há uma outra característica ligada ao cuidado de familiares – especialmente os idosos – que costuma justificar a necessidade de ajuda profissional. Eles costumam apresentar limitações físicas e mentais que tornam contra indicada a permanência deles sozinhos em casa. Cuidadores estão aptos a lidar com essas necessidades especiais, os mantendo mais confortáveis.

 

Resistência em receber cuidados

Muitos idosos são resistentes aos cuidados profissionais, fazendo com que os filhos não saibam como contornar a situação. Nesse caso, por meio de uma conversa, deve-se buscar convencer o idoso sobre a sua situação e deixar claro todos os benefícios que ele terá ao ser cuidado por profissionais especializados. 

A conversa permite demonstrar para o seu familiar que há preocupação com o bem estar dele. Inclusive, é possível permitir que a pessoa participe do processo de escolha de seus cuidadores.

Quando contribuem, sem a necessidade de impor os cuidados, pais e filhos evitam conflitos e encontram a melhor solução para as necessidades da família.

Leia também: Como convencer o idoso a aceitar um cuidador

Uma sugestão é que se combine com o idoso um “teste”, para ele experimentar, se acostumar e perceber os benefícios de um cuidado mais próximo. Os filhos, por outro lado, devem entender e mostrar para os pais que é mesmo necessário  um tempo para adaptação.

Compreendemos as dificuldades que você pode se deparar para oferecer cuidados e atenção aos seus familiares. Por essa razão que a Viver existe, pois queremos cuidar, com amor e carinho, das pessoas que você ama, oferecendo o que de melhor existe quando se trata dos cuidados aos idosos.Entre em contato com a gente clicando aqui, será um prazer para toda a nossa equipe ajudar a sua família!

convencer o idoso

Como convencer o idoso a aceitar um cuidador

Em um determinado momento da vida, é necessário optar por um cuidado maior com o idoso, visto que a ajuda profissional será a melhor forma de manter o bem estar dele. Nessas horas, é comum enfrentar dificuldades ao tentar convencer o idoso a aceitar a presença de um cuidador.

Esse desafio tende a ser preocupante e precisa ser rapidamente resolvido. Principalmente quando o idoso necessita urgentemente de cuidados ou está com a saúde tão fragilizada que cuidar dos afazeres domésticos e da própria higiene já não se faz mais possível.

Os filhos tendem a se sentir angustiados com a resistência do idoso em ter um cuidador e quando sabem que têm tempo escasso, em virtude da rotina sobrecarregada. Além de tudo isso, há a falta de conhecimentos técnicos necessários para cuidar de seus pais.  

Cientes de que esse é um problema comum, os cuidadores de idosos também estão preparados para lidar com essa resistência. Para que o trabalho seja feito de maneira satisfatória, e sempre em parceria com a família, é necessário que a sua chegada já venha sendo preparada com antecedência.

Os familiares podem antecipar alguns dos seus cuidados e convencer o idoso de que aquela ajuda será importante para a vida dele.

 

Saiba o que fazer para convencer o idoso a aceitar um cuidador

convencer o idoso

A conversa será o principal instrumento para convencer o idoso de que ele deve aceitar os cuidados profissionais que serão oferecidos pelo cuidador. Por meio dela, será possível entender o motivo da resistência da pessoa.

A experiência da Viver Cuidadores a fez descobrir diversos motivos para a resistência, como sintomas de doenças como Alzheimer, sinais de depressão, medo de estar sozinho com alguém desconhecido ou por não querer perder a sua independência. Até mesmo o jaleco branco usado pelos profissionais pode assustar em um primeiro momento. 

Após descobrir os motivos do paciente, a família deve buscar argumentar a favor da intervenção profissional, sempre de maneira paciente, porém irredutível, afirmando que essa é uma ajuda que se faz necessária para o momento. Quando tudo estiver acordado por todos, chegou o momento de buscar pelo melhor serviço de cuidador de idosos!

Caso as dificuldades de convencimento ainda persistam, não há problema em fazer contato com a VIVER, pois se trata de uma empresa capacitada em ajudar a convencer o idoso e outros familiares que ainda não estejam certos sobre recorrer à ajuda profissional. Sendo assim, procure fazer esse contato antes mesmo de convencer o idoso.

 

Como inserir o profissional especializado à rotina do paciente

convencer o idoso

Para introduzir o cuidador de idosos à rotina do paciente, é importante que se conheçam, tendo a oportunidade de se apresentar. Cada um pode contar um pouco sobre si para o outro.

O profissional já está treinado para ter atenção, paciência e empatia, então será bem natural para ele. Assim, gradativamente, eles se conhecem e se adaptam um ao outro e o profissional terá oportunidade de conhecer a casa e a rotina familiar. 

Caso o idoso esteja inseguro, é bom que um familiar esteja presente no início, para que o idoso possa identificar alguém de sua família próximo. Não interfira nos procedimentos técnicos dos profissionais.

Lembre-se que o cuidador é alguém capacitado para exercer a profissão e passar segurança ao paciente. Com o passar do tempo, sugerimos que você continue visitando o seu familiar. Observe o seu humor e a sua aparência, ambas características lhe entregarão muitas informações acerca do seu estado.

Com o tempo, surge uma bela relação de amizade, totalmente amparada pelo carinho e respeito de ambas as partes, que contribui para o bem estar de um e crescimento profissional de outro. Isso dará certeza à família de que a opção por um cuidador de idosos para o seu ente querido foi a melhor decisão possível.

No início, o convencimento pode ser difícil, mas, com o passar do tempo, a paz e a tranquilidade que serão sentidas por pacientes e familiares confirmarão que os esforços foram válidos.

A Viver está preparada para lidar com esses casos com muito carinho e profissionalismo.

 

Centro Comercial Gilberto Salomão, Bloco F, Sala 122 Lago Sul, Brasília-DF CEP: 71.615-560
(61) 3248-7943 / 99284-9708

alzheimer

Alzheimer: saiba como melhorar a qualidade de vida

O Alzheimer é uma forma comum de demência, ainda sem cura, relacionada ao funcionamento incorreto do cérebro, causando problemas de memória e alterações comportamentais e de pensamento.

No Brasil, estima-se que em torno de 1,2 milhões de pessoas tenham a doença, com a maior parte dessas pessoas não recebendo o diagnóstico nem o tratamento correto.

Quando descobre que possui Alzheimer, a pessoa tem a sua vida inteiramente transformada. A doença tende a progredir conforme a pessoa vai envelhecendo, porém, felizmente, há diversos tratamentos que tratam os sintomas e permitem uma melhor qualidade de vida ao paciente.

 

Como cuidar de uma pessoa com Alzheimer

A pessoa portadora de Alzheimer precisa tomar diariamente os remédios receitados por seu médico. Além disso, atividades que busquem estimular o cérebro são fundamentais para o bem estar dela, assim como o acompanhamento de geriatra.

Essas pequenas atitudes podem diminuir a evolução da perda de memória. Assim, estar cercado por familiares e contar com o auxílio profissional é determinante para que os cuidados sejam efetivos.

Vamos abordar algumas atividades em que o auxílio se fará necessário para a pessoa idosa com Alzheimer.

 

Alzheimer: atividades para auxiliar os portadores

Medicamentos

alzheimer

Normalmente, o paciente com Alzheimer precisa de uso diário de medicamentos prescritos pelo médico. Como o esquecimento é um dos sintomas da doença, pode ser muito difícil que o doente tome os seus remédios sozinho.

Por isso, um cuidador atento para que a medicação seja administrada nos horários e dosagens corretas é o ideal. 

 

Estímulo das funções cerebrais

alzheimer

Como uma forma de treinar o cérebro, atividades que estimulem a memória, a linguagem e a atenção do paciente podem ser conduzidas pelo cuidador. Montar um jogo de quebra-cabeça ou ver fotografias de seus familiares e amigos são bons exercícios para a capacidade de raciocínio, recordação e, até mesmo, a fala.

 

Prática de atividades físicas

alzheimer

Já que o Alzheimer dificulta a capacidade de mobilidade do paciente, afetando a sua coordenação motora e equilíbrio, a prática de atividades físicas é capaz de trazer inúmeros benefícios como prevenção de quedas, diminuição das dores nas articulações, melhorias no funcionamento de diversos órgãos etc.

A atividade física, praticada sob orientação profissional, pode ser feita todos os dias por 30 minutos. Caminhadas e hidroginástica são excelentes, principalmente quando aliadas à fisioterapia.

 

Interação social

 

alzheimer

A solidão não é boa para o paciente com Alzheimer. Ela acelera a perda da capacidade cognitiva. O contato com familiares e amigos, passeios e presença em eventos sociais serão ótimas oportunidades de interação.

Sobre as interações, é importante frisar que a comunicação pode ser dificultada por causa dos obstáculos impostos pelo Alzheimer. Tenha muita paciência enquanto se comunica com o paciente. Mantenha o olhar fixo em seus olhos para que saiba que está falando com ele, fale tranquilamente, use gestos e ouça, mesmo que ele demonstre dificuldades de encontrar palavras ou repita as ideias.

Leia também: Você realmente sabe o que é Depressão?

 

Higiene

alzheimer

Com a evolução do Alzheimer, a pessoa necessita de auxílio para tomar banho, vestir-se e outros cuidados de higiene, já que ela pode se esquecer de como realizar essas atividades. O ideal é que o cuidador mostre como se faz e depois peça para que ela repita as ações. 

 

Segurança

alzheimer

Para que o paciente com Alzheimer esteja sempre seguro, é possível adotar algumas medidas como utilizar uma pulseira de identificação em seu pulso, caso se perca; manter portas e janelas fechadas; esconder objetos perigosos; e jamais permitir que ele saia sozinho pela rua.

A casa em que ele mora também deve passar por algumas adaptações para evitar o risco de quedas. Corrimãos de parede devem ser instalados em corredores e devem ser colocados apoios próximo ao vaso sanitário. Objetos como móveis baixos, cabos soltos ou tapetes que obstruem o caminho devem ser retirados.

 

Alimentação

alzheimer

A alimentação é um dos tópicos em que o portador de Alzheimer mais precisa de ajuda, pois ele pode perder a capacidade de cozinhar com o passar do tempo. É comum, por exemplo, esquecer a panela no fogo e deixar queimar a comida.

Surgem também outras duas dificuldades: a de segurar talheres e a de engolir. Orientamos que os cuidadores ofereçam uma alimentação que seja do agrado da pessoa e que esteja de acordo com o que foi dito pelo nutricionista. 

Essas atitudes são capazes de aumentar a qualidade de vida de uma pessoa com Alzheimer. Faça sempre tudo com muito cuidado, carinho e auxílio profissional, que a melhora será notória no cotidiano do seu ente querido.

 

Entre em contato com a Viver e tire todas as suas dúvidas!

(61) 3248-7943 | (61) 99284-9708

idoso

Em que momento o idoso não deve mais viver sozinho?

Conforme os anos vão passando, chegará o momento em que muitas famílias irão se deparar com o seguinte questionamento: em que momento o idoso não deve mais viver sozinho? Convencer a pessoa que ela chegou a uma fase da vida que irá necessitar de cuidados especiais pode ser bem mais difícil do que parece, pois há toda uma questão emocional envolvida.

O Estatuto do Idoso afirma que “é obrigação da família (entre outros) assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária”. 

Como a família deseja que o idoso seja bem cuidado durante toda a vida, é preciso ficar atento a alguns sinais. Eles podem indicar que o mais adequado para o momento é que o idoso tenha acompanhamento especializado.

Seria o momento, então, de considerar buscar ajuda profissional. Confira agora os sete sinais que irão te ajudar a identificar a chegada desse momento.

 

7 sinais de que um idoso não deve mais viver sozinho

 

1 – Idoso sofre ocorrências acidentais

idoso

Quedas podem ser muito perigosas e tendem a ocorrer com mais frequência em decorrência do envelhecimento. A gravidade pode ser maior se a pessoa demorar a receber socorro por estar sozinha. Um acompanhamento mais próximo pode evitar essas quedas.

 

2 – Doenças crônicas

Quando o idoso possui uma doença crônica, que vai piorando gradualmente, e tem a necessidade que medicamentos diversos sejam ministrados corretamente. Ter alguém próximo para ajudá-lo se torna indispensável.

 

3 – Dificuldade nas atividades cotidianas

idoso

A dificuldade na realização de atividades cotidianas, como vestir-se, cozinhar, fazer compras e tomar remédios, sinalizam que a sua independência está comprometida e que cuidadores são necessários para acompanhar o idoso.

 

4 – Mudanças bruscas na aparência

Quando o idoso apresenta perda ou ganho de peso, tem mudanças bruscas em sua aparência, está usando roupas mal cuidadas ou desabotoadas ou não consegue mais manter as rotinas diárias de higiene pessoal, são claros sinais de que ele necessita de um acompanhamento mais próximo.

 

5 – Pouca participação social

idoso

Caso ele não tenha mais amizades ativas, não participe de eventos sociais e religiosos, fique por um longo período de tempo sem sair de casa e não visite os vizinhos, os familiares têm que ficar alertos, pois essas atitudes estão diretamente relacionadas com problemas cardíacos e depressão em idosos. 

 

6 – Alimentos vencidos, mofados ou azedos

A cozinha da casa do idoso também pode revelar informações sobre a sua condição de viver sozinho. Busque por alimentos vencidos, mofados ou azedos.

Comidas estocadas em grande quantidade podem informar que a pessoa já não se lembra mais sobre a quantidade correta que deve comprar. Eletrodomésticos quebrados e muita comida congelada no freezer (exceto se já era um costume da pessoa) são sinais claros de que o idoso precisa de ajuda para cozinhar e administrar seus utensílios.

 

7 – Bagunça e falta de manutenção

Casa muito bagunçada, objetos acumulados, animais de estimação magros, plantas mortas: todos são indícios de que o idoso necessita de auxílio para cuidar do seu lar.

Muitas vezes, todos esses são sinais que passam despercebidos pelos familiares ou demoram a ser identificados. Para que ameaças à integridade física do idoso e complicações diversas ao seu estado de saúde não aconteçam, um atendimento especializado se faz necessário. 

 

Como funciona a assistência profissional ao idoso?

idoso

Por serem mais vulneráveis, o idoso deve dispor de uma gama de cuidados voltados às suas necessidades para que a qualidade de vida deles seja garantida. A assistência profissional oferece ajuda nas atividades diárias e em seus cuidados pessoais.

Tarefas como vestir-se, tomar banho, alimentar-se e tomar medicamentos são controladas por profissionais, permitindo que os idosos tenham ganhos consideráveis em qualidade de vida. 

O cuidado profissional entrega ainda benefícios que tocam o bem estar do idoso com melhorias relacionadas não somente à saúde, mas ao corpo, à mente, às emoções e à prevenção, impedindo que outros tipos de problema surjam.

Oferecer ao idoso cuidados especiais e profissionais, que vão lhe permitir uma vida digna e plena, com muito mais segurança e qualidade, é uma decisão que não pode ser postergada por familiares.

A Viver preza pelos cuidados aos idosos e, por meio de nossos serviços e equipe, está sempre disposta a ajudar sua família, oferecendo amor e carinho àqueles que por muitos anos cuidaram de você.

Nós podemos lhe ajudar! Fale conosco e receba informações sobre nossos planos e serviços.