demência

Como o sono pode contribuir para a demência

É reconhecido cientificamente que alterações nos padrões de sono costumam estar entre os sintomas de doenças cognitivas. Demência, Alzheimer e outras enfermidades neurodegenerativas costumam apresentar essas características. 

Entre as manifestações mais comuns estão a insônia, o sono durante o dia ou por longos períodos. Acredita-se que falhas no ciclo do sono afetam partes do cérebro – principalmente o hipotálamo e o tronco cerebral, áreas que tendem a desencadear enfermidades, inclusive a demência.

Infelizmente, ela faz o paciente ter perda de memória, dificuldades de raciocínio e déficit intelectu20al. Apesar de ser um sintoma, acredita-se em uma possível ligação de causa entre sono e demência. 

Continue a leitura e entenda.

 

Sono e demência: possível ligação 

A desconfiança de que desregulações no sono estavam levando pacientes a desenvolver demência motivou um estudo da Nature Communications, que compilou informações obtidas durante 25 anos por bancos de dados e artigos publicados pela College London University, na Inglaterra.

O resultado da pesquisa mostra que há razão para a dúvida. O estudo sugere que pessoas entre 50 e 60 anos que não dormem a quantidade de horas recomendadas para a idade têm uma probabilidade maior de desenvolver demência. 

A investigação ordenou dados de cerca de 8 mil pessoas, que forneceram informações sobre os seus padrões de sono. Todas com 50 anos ou mais, de diferentes regiões, hábitos e condições clínicas.

Os resultados obtidos permitem afirmar que havia um risco 30% maior para desenvolver a demência entre aqueles que informaram dormir menos de 6 horas por noite. Entre esses, a doença vinha a se manifestar, em média, 30 anos depois.

Essas informações fizeram os cientistas acreditarem que poucas horas dormidas por volta dos 50 anos podem levar o paciente a desenvolver a demência aos 80. Não há ainda uma explicação que confirme a relação de causa e efeito, mas a notória relação entre os fatos tem incentivado novos estudos sobre o tema.

Contudo, como o artigo citado se trata de um estudo observacional, os cientistas não puderam comprovar a hipótese de que dormir pouco causa demência, mas as evidências são bastante críveis. Também não é possível afirmar que dormir as horas previstas com qualidade afastam as possibilidades de se desenvolver a doença. 

Porém, ainda segundo as observações, entre as pessoas que dormiam por volta de 7 horas, houve menor ocorrência de demência. Enquanto ainda não há uma definição científica sobre o assunto, cabe aos cuidadores de idosos e às suas famílias garantirem condições para que seus entes queridos possam ter boas noites de descanso, de acordo com as suas necessidades e com o que for determinado pelos profissionais de saúde que o acompanham. 

Isso porque dormir bem tem um papel fundamental para a manutenção da saúde e a prevenção de demência no futuro. Os cuidadores de idosos estão aptos a contribuir para que o paciente tenha uma agradável noite de sono, zelando pelo descanso, supervisionando para que ele vá para a cama nos horários adequados e oferecendo o auxílio necessário, inclusive para os pacientes já diagnosticados com demência.

A Viver está pronta para oferecer esses cuidados. Faça contato clicando aqui.

parkinson

Como ajudar o familiar com Parkinson

O Parkinson é uma doença degenerativa, crônica e progressiva que ataca o sistema nervoso central. Provoca a morte de células do cérebro que são responsáveis por produzir dopamina, um neurotransmissor que regula os movimentos do corpo.

De forma prática, os principais sintomas motores são a lentidão dos movimentos, a dificuldade de andar, falar e se movimentar corretamente, tremores – muitas vezes não perceptíveis por terceiros -, rigidez dos membros e postura instável.

Já os sintomas não motores do Parkinson afetam a visão, a audição e o olfato, além da razão. Podem ser apresentados problemas cognitivos, demência, perda de memória, alucinações e desordens psicológicas.

É importante que a família tenha um olhar extremamente atento. A qualquer pequeno sinal, ela deve encaminhar o familiar ao médico, pois o diagnóstico e tratamento precoces promovem uma melhor qualidade de vida à pessoa.

O Ministério da Saúde estima que mais de 200 mil brasileiros convivem com a doença; a maioria com mais de 60 anos. As causas ainda não são precisamente conhecidas, mas acredita-se que há fatores genéticos e ambientais envolvidos no surgimento da patologia.

Por ser uma doença crônica, não existe uma cura definitiva, mas um tratamento cujo objetivo é garantir a qualidade de vida pelo maior tempo possível. De remédios a cirurgias, cada solução é feita de forma específica para cada paciente, sendo sempre importante uma avaliação junto a um médico.

 

Parkinson: afinal, como ajudar meu familiar?

O primeiro passo para ajudar o familiar que tem Parkinson é incentivá-lo e encaminhá-lo o quanto antes para o tratamento. Além disso, o apoio sincero e a paciência por parte da família se mostram um grande diferencial no tratamento.

É válido um olhar atento a um possível desenvolvimento de depressão. Segundo o Doutor Erich Fonoff, quadros de depressão e ansiedade são comuns em pacientes com doenças crônicas. Estima-se que a depressão, isoladamente, é a alteração não-motora mais comum na doença de Parkinson, presente em quase 50% dos pacientes.

Você também pode ajudar seu familiar ao oferecer um ambiente seguro. As limitações causadas pela doença exigem que a residência da pessoa acometida com a doença seja adaptada.

Os itens utilizados com mais frequência devem estar sempre acessíveis em todos os cômodos. Pisos antiderrapantes, corrimão ou barras de suporte são recomendáveis.

Outro conselho muito importante é dar tempo para que a pessoa execute suas atividades, sem a apressar. Lembre-se de que os movimentos, antes “automáticos”, agora precisam ser planejados antes. Isso evita muitas irritações e ansiedades.

Ainda nesse sentido, não se ofereça imediatamente para fazer algo pela pessoa. É importante que ela mantenha autonomia e se esforce para fazer o máximo possível sozinha.

Enquanto a pessoa executa, por mais simples que seja a atividade, deixe que se concentre. Isso porque pode ser difícil prestar atenção em uma conversa enquanto está fazendo algo.

Por fim, além dos remédios, estimule a pessoa a fazer atividades físicas e intelectuais. Caso opte por contratar um cuidador, escolha empresas especializadas.

A Viver Cuidadores oferece parcerias que estimulam terapias auxiliares como fisioterapia, fonoaudiologia e suporte psicológico, exercendo um papel importante na melhoria da qualidade de vida e independência do paciente.

Estamos disponíveis para auxiliá-lo da melhor maneira possível! Entre em contato.

Cuidador de idosos em Brasília

Cuidador de idosos em Brasília: onde encontrar

Apesar de não ser difícil encontrar um cuidador de idosos em Brasília, é preciso saber onde encontrar profissionais de confiança. Nos últimos anos, essa foi uma das profissões que mais cresceu no Brasil.

Isso porque houve um aumento na expectativa de vida das pessoas. Pelas projeções do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE), a população de idosos chegará a 58,2 milhões em 2060.

Por isso, o cuidador de idosos é um profissional cada vez mais requisitado, pois ele incentiva, instrui e auxilia na rotina e tarefas do dia a dia do paciente. Sabemos, no entanto, que é comum as famílias contratarem pessoas sem qualificação apropriada para esse tipo de serviço.

Você sabe onde encontrar cuidador de idosos – qualificados – em Brasília? Continue por aqui e saiba mais!

 

Onde encontrar cuidador de idosos em Brasília

É comum que os familiares contratem profissionais sem formação específica e – no caso de técnicos de enfermagem – sem  o Coren-DF (Conselho Regional de Enfermagem do Distrito Federal)  ativo. No entanto, essa prática não é recomendada. 

Não é qualquer pessoa que se titula “cuidador” que realmente é: tome cuidado! Para se tornar um, é necessário um curso de capacitação; cuidador de idosos profissional é diferente de pessoas que cuidam dos avós, por exemplo.

Primeiramente, é importante entender quais são as atribuições que o profissional precisa ter. Nesse artigo, explicamos o profissional adequado para cada tipo de necessidade. Segue algumas atribuições específicas:  

  • Cuidados com a higiene do idoso
  • Cuidados com a medicação
  • Cuidados com a alimentação
  • Bem estar do idoso
  • Monitoramento dos sinais vitais

 

Contratar cuidadores de forma particular é um pouco mais trabalhoso, já que é necessário avaliar um a um pela qualificação e confiabilidade no mercado. Você também será responsável por acompanhar como está a qualidade do serviço nos plantões, verificar como está o estado de saúde do paciente e ficar alerta em caso de faltas ou atrasos do profissional particular. Além disso, não há supervisão de uma equipe especializada em saúde.

Ao contratar uma empresa especializada, você não precisa se preocupar com todas essas questões citadas acima. Geralmente as empresas possuem estrutura para realizar todo o processo de contratação e gestão dos profissionais.

Assim, contratar um cuidador de idosos em Brasília pode ser muito mais seguro, rápido e simples por meio de uma empresa especializada, como a Viver Cuidadores

A Viver preza pelo cuidar e servir, e tem como valores a responsabilidade, transparência, ética profissional, desenvolvimento de potenciais e respeito à vida. São todos esses pontos que você deve analisar para contratar um cuidador de idosos em Brasília. 

Evite más experiências: procure no lugar certo um atendimento que respeita, serve com profissionalismo e cuida de quem você tanto ama.

Conheça mais o trabalho da Viver Cuidadores ou entre em contato.

Viver

Como a Viver melhora a rotina de seus pacientes

A Viver, além de um criterioso processo seletivo, realiza treinamentos e reorientações periódicas com aqueles que fazem parte de seu quadro profissional. Seus profissionais estão sempre com um olhar atento ao paciente, auxiliando-o a realizar suas atividades ao longo do dia e a manter uma rotina saudável e de estímulo ao idoso.

Nesse sentido, a Viver melhora a rotina de seus pacientes ao oferecer profissionais que promovem diversas atividades com atendimento humanizado. Ao oferecer parcerias que ajudam e estimulam atividades extras, como neuropsicologia, fisioterapias, terapia ocupacional, serviço de beleza (manicure e cabeleireiros) e outros, estamos cientes de que o cuidado vai muito além do apoio físico, mas está alicerçado em um suporte emocional e psicológico para o momento da vida em que o paciente se encontra.

Em geral, os idosos que moram sozinhos precisam de um acompanhamento profissional mais próximo. Os profissionais da Viver estimulam o cognitivo e o social do paciente, visando assim aumentar a sua qualidade de vida e bem-estar.

Por meio do auxílio, da motivação, do incentivo e do suporte, a nossa proposta é que ele possa lidar da melhor forma possível os desafios dessa etapa da vida.

 

Clientes e pacientes satisfeitos

Cuidar não é apenas auxiliar nas atividades diárias. É também estar por perto, acompanhar de forma profissional, prevenir e identificar pequenos problemas. A Viver reconhece todos esses fatores quando está junto com o paciente. O nosso trabalho é profissional, humanizado e totalmente flexível para atender as necessidades do paciente.

O reconhecimento dos nossos clientes nos dá a certeza que estamos realizando o melhor trabalho possível. Confira o relato de alguns pacientes e clientes nossos:

Viver Cuidadores Viver Cuidadores

Viver Cuidadores

Na Viver, reconhecemos as angústias dos familiares. Há um receio na adaptação de um profissional dentro do convívio diário.

Nesse sentido, é importante salientar que a Viver cadastra apenas profissionais que possuem o curso de cuidador (no caso dos cuidadores) ou que estão com o Coren-DF ativo (no caso dos enfermeiros e técnicos de enfermagem). Além de contar com profissionais experientes no mercado, devidamente avaliados e aprovados em processo seletivo rigoroso.

Estamos à disposição para uma visita ou qualquer esclarecimento adicional. Entre em contato!

nurse-looking-at-senior-female-patient-smelling-ivy-plant-in-the-pot

Cuidado em casa para todas as necessidades

O cuidado em casa tem como objetivo proporcionar comodidade, atenção e carinho por meio de profissionais especializados em servir e cuidar. Ainda, possibilita que o paciente permaneça em um local em que já está habituado a ficar. A fim de proporcionar uma boa qualidade de vida à pessoa que precisa de cuidados, a Viver Cuidadores oferece serviços e assistências para todas as necessidades.

Há a possibilidade de plantões de 6, 12 e 24 horas, de acordo com as necessidades do paciente, além de procedimentos pontuais. Os profissionais são divididos em três áreas: cuidadores, técnicos em enfermagem e enfermeiros.

Continue por aqui e entenda a função de cada tipo de serviço e especialidade.

Cuidado em casa para a sua necessidade

A proposta da Viver é entender a situação e as reais necessidades do paciente. Para isso, realizamos visitas técnicas com especialistas antes da contratação.

Após esse encontro inicial, indicamos o profissional que melhor se encaixa no acompanhamento. Analisamos o perfil, principais características, histórico e localização dos profissionais, com a possibilidade de plantões de acordo com a necessidade do cliente.

 

Cuidadores

Eles têm como função auxiliar o paciente nas atividades diárias, além de manter a qualidade de vida por meio de estímulos e locomoção. A Viver possui cuidadores de crianças, adultos ou idosos que possuam limitações físicas ou mentais, para momentos temporários como pós-operatório ou definitivos por patologias específicas.

Os cuidadores são companhia e prestam cuidados básicos de alimentação, administração de medicamentos, higiene, monitoramento dos sinais vitais, locomoção, vestimenta e atividades diárias cotidianas. Esse serviço não se limita ao atendimento estritamente domiciliar: é possível o acompanhamento em consultas, passeios, cursos, ginásticas, etc.

 

Técnicos em enfermagem

Realizam atividades de auxílio e estímulos como os cuidadores e também outras mais complexas, por possuírem conhecimento e habilidades técnicas específicas. Além de cuidados com higiene, alimentação, locomoção e monitoramento dos sinais vitais, estes profissionais realizam a higienização e a manipulação de sondas, trabalham com doenças graves, realizam cuidados paliativos, fazem curativos e entre outras atividades, todas regidas pelo COREN.

 

Enfermeiros

Esses profissionais efetuam análises detalhadas de evolução do quadro clínico do paciente e realizam planejamentos. Além de todas as atividades dos cuidadores e técnicos, eles também estão aptos a manipular dispositivos de alta complexidade e a tomar decisões imediatas.

Temos uma cartilha que explica detalhadamente sobre a função e formação de cada profissional. Baixe agora clicando aqui.

 

Acompanhante hospitalar

A Viver possui profissionais experientes para acompanhar durante internações com tranquilidade e segurança. Realiza-se um suporte nas atividades básicas, em informações do estado de saúde do paciente para seu familiar, bem como um auxílio durante o pós-operatório.

 

Procedimentos pontuais

A Viver entende que cada pessoa tem a sua própria necessidade. Por isso, temos também os procedimentos pontuais. Nesse serviço, oferecemos o profissional que irá ao seu encontro somente para realizar a atividade necessária, como curativos, higienização de sondas, aferição de glicose, avaliação física completa e administração de medicamentos por diferentes vias, por exemplo.

 

Nós podemos te ajudar! Fale conosco e receba informações sobre planos e serviços.

câncer de mama na terceira idade

Câncer de mama na terceira idade

Todo o mês de outubro é dedicado a campanhas voltadas exclusivamente ao câncer de mama, o que comprova a importância do cuidado e do acesso à informação. Apesar de, junto ao câncer de pele não melanoma, ser um dos assuntos mais comentados em relação à saúde da mulher, pouco se fala ainda sobre o câncer de mama na terceira idade. 

A maioria das idosas, há 40, 50 ou 60 anos atrás, não tinha nem o conhecimento da importância do autoexame da mama. Por isso, certamente muitas idosas hoje ainda não sabem a importância da mamografia como exame de rotina e outros cuidados básicos que ajudam na intervenção precoce.

 

Porque é ainda mais preocupante o diagnóstico na terceira idade? 

O que tem acontecido é o aumento no número de idosas que recebem o diagnóstico tardio de câncer de mama, ou seja, quando já está em fase avançada. Infelizmente o tratamento nesses casos é muito agressivo, exigindo, algumas vezes, cirurgias de remoção das mamas e quimioterapia.

O câncer de mama na terceira idade é um risco maior por se tratar de um público que já pode estar com a saúde fragilizada. Por isso, o diagnóstico precoce é ainda mais importante nessa faixa etária.

 

Câncer de mama: chances maiores após os 60 anos? 

Infelizmente, a resposta a essa pergunta é positiva. Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de mama é atípico antes dos 35 anos de idade. A partir de então, as chances crescem gradualmente, principalmente após os 50 anos.

Isso ocorre devido ao natural envelhecimento, assim como às possíveis e inevitáveis alterações biológicas. O alerta em relação ao câncer de mama na terceira idade se deve ao fato de que muitas pessoas acreditam que o acontecimento é menor após os 60 anos.

 

Câncer de mama na terceira idade: como conscientizar e prevenir

O câncer de mama não possui 100% de prevenção. Isso porque há inúmeros fatores que podem causá-lo, sendo que muitos deles não são modificáveis (como o aspecto genético). A prevenção pode dar-se no controle de alguns fatores de risco e no estímulo de hábitos preventivos, como a prática de atividades físicas, alimentação saudável e baixo consumo de bebidas alcoólicas.

Por fim, façamos nossa parte, com informação e conscientização a nossas mães, irmãs, filhas, avós, tias e amigas. As chances de cura de um câncer de mama na terceira idade são muito maiores com diagnósticos precoces. Segundo o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), a doença, quando diagnosticada ainda no início, possui 95% de chance de cura e vários estudos confirmam a importância da mamografia na redução da mortalidade

Leia também: Em que momento o idoso não deve mais viver sozinho?

acompanhamento profissional

Acompanhamento profissional: segurança para o idoso e para a família

Com rotinas agitadas e muita correria, tornou-se comum que famílias recorram ao acompanhamento profissional para cuidar de familiares idosos. Apesar de não ser o único motivo, a rotina corrida é uma das principais razões por trás dessa escolha.

A decisão é muito acertada, já que essa é uma excelente opção de manter entes queridos em segurança e sob os cuidados de pessoas qualificadas.

 

O acompanhamento profissional traz segurança ao idoso 

O acompanhamento profissional dedica-se exclusivamente às necessidades do paciente. Atividades como dar banho, ajudar a se vestir, fazer companhia, ministrar medicamentos, fazer curativos e dar um suporte correto em situações emergenciais são desempenhadas pelo profissional com o intuito de permitir uma melhor qualidade de vida ao idoso.

O trabalho da Viver Cuidadores é oferecer carinho e atendimento humanizado a todos os envolvidos. Queremos dar à família uma maior tranquilidade, deixando claro a todos que somos uma parceria e não queremos ocupar um espaço que pertence somente ao familiar.

O profissional está atento ao comportamento do idoso, e pode, assim, encaminhar a melhor solução de acordo com a realidade do paciente. A simples observação oferecida pelo acompanhamento profissional, junto às informações que também são percebidas pelos familiares, são informações valiosas para que auxilie o médico no diagnóstico correto de possíveis doenças como depressão, Alzheimer, artrose e entre outras.

Além disso, o idoso terá um profissional perto ao realizar atividades que tenha capacidade de fazer (seja cozinhar, limpar a casa ou operar alguns eletrodomésticos), evitando quedas, fraturas e choques. O acompanhamento profissional minimiza esses riscos e garante bem-estar ao idoso, pois o profissional zela pela segurança do seu paciente. Além de supervisionar, ele pode auxiliar ou até fazer, a depender do que o idoso está necessitando.

 

Benefícios para a família

Famílias, não tenham dúvidas: acompanhamento profissional é a melhor forma de cuidar de familiares idosos. Saiba o porquê em nosso blog!

Há um aumento considerável na qualidade de vida de toda a família ao contratar um acompanhamento profissional. Os estresses e preocupações dão lugar a um maior tempo de qualidade com os idosos.

A rotina do idoso fica mais organizada e segura, evitando que tarefas sejam acumuladas e pessoas sobrecarregadas. Não perder o convívio com o ente querido também é possibilitado pelo acompanhamento profissional domiciliar, já que as famílias nem sempre precisam recorrer a internações em asilos ou casas de repousos.

Temos certeza de que você quer que seu familiar seja atendido com muito carinho. Por isso, compreendemos que todo o serviço prestado para o bem dos idosos deve conter carinho, cuidado e atenção, valores com os quais a Viver e toda a sua equipe está comprometida. Fazemos uma avaliação gratuita que ajuda o familiar a ver se o paciente precisa ou não de auxílio. Entre em contato!

viver cuidadores

Viver Cuidadores: carinho e atendimento humanizado

Desenvolver soluções de atendimento com excelência é a missão da Viver Cuidadores. Queremos sempre superar as expectativas dos clientes, colaboradores e parceiros.

Por isso, buscamos otimizar nossos processos para melhorar continuamente os nossos serviços. A Viver Cuidadores tem como principais pilares a promoção do bem-estar e a humanização do atendimento às pessoas idosas.

Não temos a pretensão de ocupar o espaço da família, mas proporcionar uma maior atenção e cuidado àquela pessoa que já passou por todas as experiências da vida e, agora, merece o menor estresse possível. Nosso foco é a valorização da dignidade de cada pessoa humana.

 

A Viver cuidadores: a arte de servir e cuidar

Fragilidades, dores, limitações e diagnósticos de doenças. A Viver Cuidadores reconhece que o processo de envelhecimento nem sempre é simples.

Por isso, temos como principal compromisso levar um cuidado humanizado aos pacientes: desde um simples olhar de carinho, até entender e melhorar as suas dores. Nosso recrutamento e seleção de profissionais é amplamente criterioso, no qual avaliamos o currículo e a experiência, além de realizar entrevistas e provas.

A Viver Cuidadores cadastra apenas profissionais que possuam o curso de cuidador ou que estejam com o Coren-DF ativo. Todos os nossos especialistas ainda passam por treinamentos periódicos, a fim de melhorar cada vez mais o atendimento. Com nossos conhecimentos técnicos aliados à empatia e ao afeto, queremos que o paciente se sinta cada vez mais valorizado.

viver cuidadores

Nosso objetivo é proporcionar comodidade, atenção e carinho por meio de profissionais especializados em servir e cuidar. Oferecemos serviços e assistências, como:

– atividades físicas e cognitivas;
– auxílio nas tarefas cotidianas;
– administração de medicamentos;
– monitoramento de sinais vitais;
– acompanhamento em consultas;
– acompanhamento em passeios; e
– companhia.

No mercado de Brasília, a VIVER conta com tradição e credibilidade comprovada nos serviços prestados. Realizamos visitas técnicas com especialistas, a fim de entender a situação e as necessidades do paciente e posteriormente encaminhamos o profissional mais indicado para o acompanhamento.

Entre em contato para tirar todas as suas dúvidas!

cuidar do familiar

Falta tempo para cuidar do familiar?

Chega um dia em que o processo se inverte. Antes, enquanto crianças e jovens, nós éramos cuidados por algum parente; com o passar dos anos, chega a nossa vez de cuidar do familiar, que normalmente são os nossos pais.

Quando adultos, muitas pessoas continuam próximas de seus pais, mantendo laços afetivos e sendo solidários às suas necessidades. Porém, a vida adulta costuma vir acompanhada de diversas obrigações como trabalho, estudos, serviços domésticos, filhos etc.

Essa realidade faz com que muitos filhos se deparem com dificuldades de organizar seu tempo para cuidar do familiar, pois encontram-se muito atarefados na fase da vida que coincide com o envelhecimento dos familiares.

 

A ajuda profissional para cuidar do familiar é uma solução

cuidar do familiar

Não é necessário abdicar dos compromissos pessoais para cuidar do familiar que precisa de ajuda. Contratar auxílio profissional pode ser uma boa solução.

O cuidador está habilitado para dar atenção ao seu familiar e suprir todas as suas necessidades que são voltadas para a obtenção de uma melhor qualidade de vida. Mesmo em meio à correria do dia, você fica tranquilo sabendo que o seu familiar está bem acompanhado em suas atividades cotidianas.

É importante salientar que o profissional especializado não tem o papel do familiar. O filho não vai – e não deve – parar de visitar seus pais e ter momentos juntos. O papel do profissional é auxiliar e realizar as atividades necessárias com a pessoa para garantir a sua qualidade de vida.

Há uma outra característica ligada ao cuidado de familiares – especialmente os idosos – que costuma justificar a necessidade de ajuda profissional. Eles costumam apresentar limitações físicas e mentais que tornam contra indicada a permanência deles sozinhos em casa. Cuidadores estão aptos a lidar com essas necessidades especiais, os mantendo mais confortáveis.

 

Resistência em receber cuidados

Muitos idosos são resistentes aos cuidados profissionais, fazendo com que os filhos não saibam como contornar a situação. Nesse caso, por meio de uma conversa, deve-se buscar convencer o idoso sobre a sua situação e deixar claro todos os benefícios que ele terá ao ser cuidado por profissionais especializados. 

A conversa permite demonstrar para o seu familiar que há preocupação com o bem estar dele. Inclusive, é possível permitir que a pessoa participe do processo de escolha de seus cuidadores.

Quando contribuem, sem a necessidade de impor os cuidados, pais e filhos evitam conflitos e encontram a melhor solução para as necessidades da família.

Leia também: Como convencer o idoso a aceitar um cuidador

Uma sugestão é que se combine com o idoso um “teste”, para ele experimentar, se acostumar e perceber os benefícios de um cuidado mais próximo. Os filhos, por outro lado, devem entender e mostrar para os pais que é mesmo necessário  um tempo para adaptação.

Compreendemos as dificuldades que você pode se deparar para oferecer cuidados e atenção aos seus familiares. Por essa razão que a Viver existe, pois queremos cuidar, com amor e carinho, das pessoas que você ama, oferecendo o que de melhor existe quando se trata dos cuidados aos idosos.Entre em contato com a gente clicando aqui, será um prazer para toda a nossa equipe ajudar a sua família!

convencer o idoso

Como convencer o idoso a aceitar um cuidador

Em um determinado momento da vida, é necessário optar por um cuidado maior com o idoso, visto que a ajuda profissional será a melhor forma de manter o bem estar dele. Nessas horas, é comum enfrentar dificuldades ao tentar convencer o idoso a aceitar a presença de um cuidador.

Esse desafio tende a ser preocupante e precisa ser rapidamente resolvido. Principalmente quando o idoso necessita urgentemente de cuidados ou está com a saúde tão fragilizada que cuidar dos afazeres domésticos e da própria higiene já não se faz mais possível.

Os filhos tendem a se sentir angustiados com a resistência do idoso em ter um cuidador e quando sabem que têm tempo escasso, em virtude da rotina sobrecarregada. Além de tudo isso, há a falta de conhecimentos técnicos necessários para cuidar de seus pais.  

Cientes de que esse é um problema comum, os cuidadores de idosos também estão preparados para lidar com essa resistência. Para que o trabalho seja feito de maneira satisfatória, e sempre em parceria com a família, é necessário que a sua chegada já venha sendo preparada com antecedência.

Os familiares podem antecipar alguns dos seus cuidados e convencer o idoso de que aquela ajuda será importante para a vida dele.

 

Saiba o que fazer para convencer o idoso a aceitar um cuidador

convencer o idoso

A conversa será o principal instrumento para convencer o idoso de que ele deve aceitar os cuidados profissionais que serão oferecidos pelo cuidador. Por meio dela, será possível entender o motivo da resistência da pessoa.

A experiência da Viver Cuidadores a fez descobrir diversos motivos para a resistência, como sintomas de doenças como Alzheimer, sinais de depressão, medo de estar sozinho com alguém desconhecido ou por não querer perder a sua independência. Até mesmo o jaleco branco usado pelos profissionais pode assustar em um primeiro momento. 

Após descobrir os motivos do paciente, a família deve buscar argumentar a favor da intervenção profissional, sempre de maneira paciente, porém irredutível, afirmando que essa é uma ajuda que se faz necessária para o momento. Quando tudo estiver acordado por todos, chegou o momento de buscar pelo melhor serviço de cuidador de idosos!

Caso as dificuldades de convencimento ainda persistam, não há problema em fazer contato com a VIVER, pois se trata de uma empresa capacitada em ajudar a convencer o idoso e outros familiares que ainda não estejam certos sobre recorrer à ajuda profissional. Sendo assim, procure fazer esse contato antes mesmo de convencer o idoso.

 

Como inserir o profissional especializado à rotina do paciente

convencer o idoso

Para introduzir o cuidador de idosos à rotina do paciente, é importante que se conheçam, tendo a oportunidade de se apresentar. Cada um pode contar um pouco sobre si para o outro.

O profissional já está treinado para ter atenção, paciência e empatia, então será bem natural para ele. Assim, gradativamente, eles se conhecem e se adaptam um ao outro e o profissional terá oportunidade de conhecer a casa e a rotina familiar. 

Caso o idoso esteja inseguro, é bom que um familiar esteja presente no início, para que o idoso possa identificar alguém de sua família próximo. Não interfira nos procedimentos técnicos dos profissionais.

Lembre-se que o cuidador é alguém capacitado para exercer a profissão e passar segurança ao paciente. Com o passar do tempo, sugerimos que você continue visitando o seu familiar. Observe o seu humor e a sua aparência, ambas características lhe entregarão muitas informações acerca do seu estado.

Com o tempo, surge uma bela relação de amizade, totalmente amparada pelo carinho e respeito de ambas as partes, que contribui para o bem estar de um e crescimento profissional de outro. Isso dará certeza à família de que a opção por um cuidador de idosos para o seu ente querido foi a melhor decisão possível.

No início, o convencimento pode ser difícil, mas, com o passar do tempo, a paz e a tranquilidade que serão sentidas por pacientes e familiares confirmarão que os esforços foram válidos.

A Viver está preparada para lidar com esses casos com muito carinho e profissionalismo.

 

Centro Comercial Gilberto Salomão, Bloco F, Sala 122 Lago Sul, Brasília-DF CEP: 71.615-560
(61) 3248-7943 / 99284-9708